There was an error in this gadget

Thursday, April 27, 2006

Ferreira Gullar


TRADUZIR-SE
Ferreira Gullar

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

Uma parte de mim
é multidão:
outra parte
estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
almoça e janta:
outra parte
se espanta.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.
Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.
Traduzir uma parte
na outra parte
- que é uma questão
de vida ou morte -
será arte?

Tuesday, April 25, 2006

Lyrics


SE ME OLVIDO OTRA VEZ
by Juan Gabriel

Probablemente ya de mi
te has olvidado.
Y mientras tanto yo,
te seguire esperando.
No me querido ir
para ver si algun dia
que tu quieras volver
me encuentres todavia.

Por eso aun estoy
en el lugar de siempre,
en la misma cuidad,
y con la misma gente,
para que tu al volver
no encuentres nada extrano
y sea como hayer
y nunca mas dejarnos.

Probablemente estoy
pidiendo demasiado.
Se me olvidaba que
ya habiamos terminado,
que nunca volveras,
que nunca me quisiste.
Se me olvido otra vez
que solo yo te quise.

Saturday, April 22, 2006


DE VOLTA AO PASSADO

Tá ficando velho(a)?
Dê uma olhadinha...

VOCÊ ESTÁ FICANDO VELHO SE...

1 - Fez curso de datilografia?
2 - Odiava ou adorava as provas com cheiro de álcool, recém copiadas no mimeógrafo (usando papel estêncil)?
3 - Não ia pra escola no dia do seu aniversário com medo de levar um ovo ou vários na cabeça?
4 - Aumentava o rádio quando tocava "Voyage,Voyage...", ou alguma música do Yahoo, Metrô, RádioTáxi?
5 - Usava caneta de 10 cores com cheiro?
6 - Viu a Gretchen cantar Conga La Conga, o Ritchie cantar Menina Veneno, as Harmony Cats cantando: seu amor é meu, ninguém vai roubar...?
7 - Jogava Enduro e PacMan no Atari? E Master System?
8 - Tentou fazer o break do Michael Jackson?
9 - Brincava de estátua, batata quente, queimada, pega-pega, pique esconde, estrela nova, cela, forca, cabra-cega, passa anel, boca de forno, amarelinha, casamento atrás da porta e stop (uuêêêêssstop)?
10 - Tinha Melissinha, botas sete léguas, catina, conga, kichute? E sabia que o tênis Montreal era o único anti-micróbio? Usou tênis xadrês com calça verde limão e camiseta da Hang Loose?
11 - Comia Lollo, antes de se chamar Milkbar?
12 - Colecionava papel de carta?
13 - Usou aquelas pulseirinhas de linha ou lã?
14 - Dançava lambada do Sidney Magal ou do Beto Barbosa? Ou corria pra dançar quando escutava a música Chorando se foi, quem um dia só me fez chorar...?
15 - E pulava elástico?
16 - Usava aquelas chuquinhas da Pakalolo?
17 - Usou aqueles brilhos labiais que o pote tinha forma de morango? ou aqueles brilhos tipo da Moranguinho?
18 - Ploc gigante? Chupava bala Soft? Bebia Crush? Comia bala Xaxá?
19 - Comprava Dip'n Lik, Mini-Chiclets e o Pirocoptero (pirulito que vinha com hélice pra girar e voar?) ...pirulito que bate-bate, pirulito que já bateu...
20 - Teve o Pequeno Pônei, as Chuquinhas, Ursinhos Carinhosos, Peposo ou Peposa?
21 - Tinha os estojos com vários botões, com cola, durex, apontador (Paraguaio)?
22 - Tinha aqueles relógios com várias pulseiras de cores diferentes para trocar?
23 - Leu a Série Vaga Lume?
24 - Tinha aquela régua que ao bater no braço se enroscava como uma pulseira a Bate-Enrola? E a mola-mania...rsrsrsrsrs
25 - Usava aqueles brincos que vinham na cartela e se colava na orelha?
26 - Tinha a mania de dançar Jazz, igual a mulher do Flashdance?
27 - Usou polainas e tinha patins de prender nos tênis?
28 - Colecionava mini garrafas de refrigerantes? E a mãe dizia que tinha veneno dentro para que a gente não bebesse... E os ioiôs da Coca-Cola?
29 - Respondia aos Questionários das colegas? Normalmente em um caderno e a última pergunta era...De quem você gosta? Ou Deixa uma mensagem pra a dona do caderno...
30 - Teve Walkman AM/FM amarelo à prova d'água?

TÁ FICANDO VELHO, HEIN?

VOCÊ QUE FEZ PARTE DA GERAÇÃO ANOS 70, 80 E 90,
NÃO DEIXE QUE NOSSAS LEMBRANÇAS SEJAM ESQUECIDAS!
REPASSEM AOS SEUS AMIGOS (QUE ESTÃO FICANDO VELHOS)
E DEIXE QUE ELES TAMBÉM VOLTEM AO PASSADO E DIVIRTAM-SE!!!

Thursday, April 20, 2006





A NOTÍCIA

Poesia de Judas Isgorogota








Mano: Não calcula você como está transformado
Tudo aqui.
As vezes, tenho até de mim mesma indagado
Se tudo não será mais bonito que aí...
Eu bem sei que me engano.
De certo, não será; não será, pois, se fosse
Já teria você voltado ao seu rincão.
Mesmo assim, acredito
Que se o mundo daí é mais bonito
Não poderá, no entanto, ser mais doce
Ao seu bondoso coração
De irmão...
Olhe aqui: a Bibi de quando em vez me fala
De você,
E eu não sei porque após, tristíssima se cala.
Não sei, não sei porque...

Ah! como está bonito o jardim cá de casa!
A parreira cresceu
E apesar de viver sob este céu de brasa,
A roseira já está mais alta do que eu!
A laranjeira está coberta de asas louras,
Asas que vivem lhe fazendo festa...
Mais feliz do que eu...
Mais feliz, digo mal; nenhuma laranjeira,
Nenhuma árvore, enfim, da mais verde floresta,
Que exulte em florações belas e duradouras
Ou que tenha por trono a mais linda clareira,
Poderá ser feliz como quem já sofreu!

E os cravos, os jasmins...
Nestes últimos dias,
Não podendo sair a passeio, contente
Fico em casa a ouvir as cantigas suaves
Dos pássaros beijando o jasmineiro em flor.
Só agora é que sei que é o amor tão somente
Quem tece aquelas doces melodias
E alinda as penas trêfegas das aves...
Só agora é que sei que tudo aquilo é amor...

Meu irmão, ao depois que você foi embora
Como tudo mudou...
A mamãe está boa, o papai com saúde,
E o seu trabalho agora
Já não é tão pesado nem tão rude...
A casa inteira, enfim, se transformou
O silêncio é completo.

Aquela meninada
Vivaz, com a qual você, quando escrevia,
Sempre implicava solenemente,
Hoje em dia,
Muito embora não lhe fizesse nada,
Não me procura como antigamente...

Adeus. Escreva sempre.
O papai o abençoa,
Manda um beijo a mamãe.
Como ela é boa...
Como tem resisitido à vida que lhe dou...
É ela quem está esta carta escrevendo,
Esta carta que irá, através da distância,
Dar-lhe a nossa saudade...

Ah! ia-me esquecendo
De uma coisa, afinal, de pequena importância:
— Mano, a paralisia me atacou..."

A foto, cujo título é Call Center, foi uploaded por True Nature
e publicada no site www.flickrs.com

Monday, April 17, 2006

Cogito

eu sou como eu sou
pronome
pessoal intransferível
do homem que iniciei
na medida do possível

eu sou como eu sou
agora
sem grandes segredos dantes
sem novos secretos dentes
nesta hora

eu sou como eu sou
presente
desferrolhado indecente
feito um pedaço de mim

eu sou como eu sou
vidente
e vivo tranqüilamente
todas as horas do fim.


Torquato Neto

Sunday, April 09, 2006

Artigo inteligente...



A Verdadeira Omissão de Socorro

Manoel Soares

Volta e meia ouço falarem que brasileiro é acomodado, não se mobiliza para mudar nada, e por aí vai. Se é verdade que, muitas vezes, assumimos essa postura, algum motivo deve haver, né? Quer ver só. Vamos pegar como exemplo o documentário Falcão, feito pelo MV Bill e pelo Celso Athayde. Lembro que, na segunda feira após o Fantástico exibi-lo, havia um monte de gente chocada com o que viu. Duas semanas passaram e as pessoas parecem já ter se conformado com destino trágico de milhares de jovens. Na boa, gente, para que o mal ganhe essa batalha, basta que o bem fique de braços cruzados sem fazer nada. Depois de seis anos se virando como podiam para fazer um documentário que mostrasse ao Brasil o que o país está fazendo com sua juventude, com a ajuda de alguns políticos, Bill e Celso estão correndo o risco de serem acusados de crime de omissão de socorro. Isso porque, durante as gravações, viram pessoas em perigo e não tiveram como ajudar. Talvez seja por fatos como esse que as pessoas, no Brasil, estejam acomodadas, com medo de tentarem e, depois, levarem na cabeça. Um dos receios os produtores era que os traficantes fizessem algo contra eles por causa do filme, mas, para surpresa de todos, esta atitude veio do outro lado. Já que a moda é condenar por omissão de socorro, vamos condenar, também, os poderes públicos que, por falta de competência administrativa, estão tragando vidas, fechando os olhos para o que até cego já viu. Sem contar que muitos de nós, que moramos em periferias, já agimos como Bill e Celso, pois tivemos que nos calar, ao ver a vida sendo desrespeitada, por bandidos ou por quem representa a lei, por não termos como nos defender. É lamentável que iniciativas tomadas em um espaço aberto de televisão, que poderiam mudar parte do rumo da nossa sociedade, sejam mal compreendidas por quem senta na cadeirinha de comando.
Mas vamos lá, amanhã é outro dia.
Artigo publicado no Diário Gaúcho em 07 de abril
Porto Alegre, RS

Wednesday, April 05, 2006

Vandalismo - um artigo atual






O vandalismo sem punição é que alimenta essa casta de ogros.
Abaixo as pichações em orelhões, prédios e monumentos públicos.
Se o menor de idade for pego no vandalismo, os pais devem pagarmultas pesadas,
assim, o ogro será punidos pelos seus.
Se for maior, toquem em seu bolso. Se não tiver dinheiro, botem-no a limpar
os espaços por ele imundiciados.
Os homens públicos devem é se preocupar em fechar o cerco contra o que é errado, economizando tempo e dinheiro.
Eu, homem de bem, sou a favor da cadeia agrícola.
Trabalhem se quiserem comer, plantem que a terra garantirá.
"Do suor do teu rosto (não do meu), comerás teu pão."

Artigo de autoria de Paulo César J. Amorim, Motorista, Porto Alegre,
publicado em o Diário Gaúcho de 04/04/2006